Mar imenso

 

Mar imenso,

Mar gigante,

Amplidão infinita,

Ondas que vem e vão.

Mar azul como o céu,

Mar verde como as matas.

Mar de espuma,

Tão branca, tão fluida...

Mar que balança,

Mar que avança,

Para depois recuar.

Mar que chega trazendo vida,

Que chega desmanchando a areia

E que depois de vai

Arrastando consigo o que encontrar.

Mar imenso,

Mar gigante,

Suas águas encerram tantos encantos!

Suas águas encerram tanta vida!

Vida de animais e plantas,

Vida de marinheiros.

Vida e esperança,

De chegar a novas terras,

De ancorar em outros portos.

Conhecer novos amores,

Viver em outras terras,

Novas paisagens, novas cores.

O mar é sinônimo de liberdade,

De imensidão sem limites,

De busca do desconhecido.

E como um menino,

Vejo-me hipnotizado pelo seu magnetismo,

Quando o vi pela primeira vez.

Desde que o vi, por ele me apaixonei.

Por ele me encantei,

E não pude mais deixá-lo.

Como embriagado, ele me chamava.

Suas ondas embalaram minha alma,

Meu sono, meus pensamentos.

Dele nunca mais me afastei.

A ele, minha vida entreguei.

Com ele fui feliz.

Ele me levou a muitas partes,

Por ele naveguei por toda a minha vida.

 

E neste ano que se encerra, mentalizem a força do oceano, as águas vitalizantes que renovam nossas energias e deixem que esta energia invada seus corpos e seus espíritos, renovando a esperança de um mundo melhor.

 

Um abraço deste Velho Lobo do Mar (27/12/08)